» SERVIÇO SOS AUTISMO

» REDES SOCIAIS

» O SEU DONATIVO

» PARCEIROS

» NOTICIAS

ABA reduz os custos?

 

O seu filho foi diagnosticado com uma Perturbação do Espetro Autista. Certamente, a sua educação trará custos adicionais e por isso é importante que esses custos se traduzam numa melhoria efetiva.

 

O Autismo é uma condição que exige uma terapia especializada para que sejam obtidos os melhores resultados e que estes permanecem com o passar do tempo. Embora seja um condição de grande heterogeneidade, o tratamento deve estar direcionado para o desenvolvimento de várias áreas, nomeadamente o desenvolvimento de aptidões sociais, de comunicação, linguagem e cognitivas. Abranger todas estas áreas é possível através do ABA que, de forma intensiva e precoce, irá produzir os melhores resultados. 

 

Num estudo realizado com crianças autistas, um grupo recebeu 40h por semana de terapia intensiva (nomeadamente DTT - discret trial training) e 2 grupos de controlo com 10h por semana de terapia intensiva e tratamento tradicional na comunidade, mostrou que o grupo com 40h semanais aumentou o QI e melhorou a prontidão para aprendizagem enquanto os grupos de controlo permaneceram virtualmente iguais. Estas melhorias permaneceram como passar do tempo.

 

Redução de custos

A terapia ABA tem uma percentagem de reabilitação de cerca de 47%, ou seja, após a terapia, que dura em média 3 anos (para indivíduos entre os 4 e os 22 anos de idade), as crianças tornam-se indistinguíveis dos seus pares, apresentando um funcionamento normal ou perto do normal sem que seja necessário nenhum ou quase nenhum acompanhamento na escola. 72% das crianças vão para uma escola de ensino regular. Um terço das crianças alcançaram melhorias significativas e reduziram os níveis de suporte necessários.

 

Embora os custos durante a terapia intensiva sejam maiores do que os custos com Educação Especial, a terapia dura apenas alguns anos e os benefícios compensam a longo prazo ao eliminar ou reduzir apoios e ao introduzir as crianças na escolaridade regular.

 

Referências

Chasson S.G, Harris E.G., Neely J.W. (2007), Cost Comparison of Early Intensive Behavioral Intervention and Special Education for Children with Autism, Springer Science+Business Media, 16:401–413

 


Última revisão: 25/02/2016